PUB.

Covid-19: “Apenas 2,2%” de consultas canceladas nos centros de saúde de Bragança

A Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste revelou que “apenas 2,2%” das consultas agendadas nos centros de saúde do distrito de Bragança foram canceladas durante o Estado de Emergência devido à pandemia covid-19.

A entidade responsável pelos cuidados de saúde nesta região salienta, em comunicado, que mesmo durante o período de maior assistência à covid-19, manteve “igualmente mesmo com algumas condicionantes, o acompanhamento da população”, nos chamados cuidados de saúde primários, através dos centros de saúde e médico de família.

Do total de agendamentos das consultas de Medicina Geral e Familiar de março e abril apenas 2,2% não foram realizadas”, concretizou aquela entidade, sem avançar o número concreto de consultas realizadas e canceladas.

A ULS do Nordeste evidencia, no entanto, a realização nos 14 centros de saúde do distrito de Bragança, “entre 1 de janeiro e 30 abril, de 133.286 consultas médicas, das quais 53.313 em regime não presencial“.

À atividade dos Cuidados de Saúde Primários durante o mesmo período acresce a realização de 96.018 consultas de enfermagem, mais de 103 mil contactos também de enfermagem e ainda 3.600 consultas efetuadas por outros técnicos de saúde”, acrescenta.

Depois da suspensão determinada pelo Ministério da Saúde, a 16 de março, com vista a responder aos doentes covid-19, está agora em curso a retoma gradual da atividade clínica programada nos Cuidados de Saúde Primários.

Nos últimos dois meses, devido às medidas de contenção da infeção pelo novo coronavírus, os serviços de saúde têm “privilegiado o contacto telefónico e digital com os utentes".

 

O distrito de Bragança contabiliza 24 mortes associadas à covid-19, cerca de 250 pessoas infetadas e há vários dias que não regista casos novos positivos, segundo os números dados oficiais

 

A retoma da atividade assistencial presencial nos Cuidados de Saúde Primários da ULS Nordeste está a decorrer “de acordo com as diretrizes da tutela, de forma faseada e com regras de higiene e segurança”.

As medidas passam pelo pré-agendamento com hora marcada para toda a atividade, uso de equipamentos de proteção individual, circuitos de doentes, higienização das mãos, de espaços, do material clínico e das superfícies de apoio utilizadas, bem como da etiqueta respiratória e do distanciamento social.

Os utentes, aquando da sua deslocação a qualquer das unidades de saúde da ULS do Nordeste, deverão também “alertar os serviços em caso de eventual presença de sinais e sintomas que possam indiciar infeção por Covid-19, entrar nas instalações apenas dez minutos antes da hora agendada, e só é permitida a entrada de um acompanhante no caso de crianças ou utentes com incapacidade”.

 

FOTOGRAFIA: BMF

Adicionar novo comentário

CAPTCHA Esta questão tem a finalidade de prevenir publicações de spam.


PUB.

The website encountered an unexpected error. Please try again later.