Devolver esperança aos territórios do interior é a premissa do Smart Travel no seu regresso a Bragança

Começa já amanhã, dia 28 de novembro, mais uma edição do Smart Travel. No seu regresso à Capital de Distrito, é sob o tema #devolução que este evento reconhecido nacional e internacionalmente e que se prolonga até ao primeiro dia do mês de dezembro, irá receber dezena e meia de oradores oriundos dos quatro cantos do mundo.

A secretária de Estado da Valorização do Interior é a convidada de honra, já confirmada, pois será Isabel Ferreira a estrear o palco às 16h30, naquela que será a abertura oficial, a decorrer no Auditório Paulo Quintela, seguindo-se um painel de influentes e conceituados especialistas, entre os quais, a nomeada pelo presidente Obama como Administradora Regional do Atlântico Central da Administração de Pequenas Empresas dos EUA, Natalia Olson-Urtecho, o economista Daniel Bessa e Helena Freitas, da Universidade de Coimbra e ex-chefe de Missão para o Interior, e o diretor da Agência Nacional de Inovação, António Bob Santos, são só alguns exemplos dos nomes que se podem esperar de um evento que, apesar de recente, cinco edições, já conquistou um lugar de destaque na programação anual do autarquia brigantina.

Na sua apresentação à comunicação social, o presidente da Câmara Municipal, entidade promotora da iniciativa, destacou o interesse da mesma e a importância das cidades inteligentes no panorama atual global, até porque, considera, “Bragança foi pioneira na organização deste tipo de eventos e somos, desde então, reconhecidos por sermos uma cidade smart, não só ao nível das novas tecnologias, mas, também, por exemplo, a nível social”.

As alterações climáticas e as questões relacionadas com os problemas ambientais estão na ordem do dia e, nessa medida, garantir a sustentabilidade trata-se de usarmos e gerirmos os recursos que, hoje, temos disponíveis sem hipotecarmos o futuro das gerações vindouras e, neste caso concreto, há uma preocupação enorme e todos falamos sobre esta temática dos destinos inteligentes e dos territórios sustentáveis”, argumenta Hernâni Dias, mantendo sempre uma visão otimista sobre o dia de amanhã, sublinhando que a forma de devolver esperança ao interior é mostrar o seu “verdadeiro potencial”, “não só a nível ambiental, mas também sob o ponto de vista económico, captando novas empresas, atraindo novos investimentos, fixando novos residentes e criando oportunidades para que as pessoas se fixem na região". “Isto é que é devolver esperança”, salienta o edil brigantino, que durante quatro dias será o anfitrião-mor de um evento onde o debate e a reflexão prometem transformar a Capital de Distrito, em pleno coração do Nordeste Transmontano, no “centro de discussão primordial para as questões da sustentabilidade, urbanismo e desenvolvimento económico e social”.

Sob a perspetiva de "#Devolver" a esperança, Hernâni Dias recorda que o Bragança já foi um distrito "com muita gente", sendo que, "nos últimos 40 anos, perdemos quase 60 por cento da população e isso significa que é necessário trazer novas pessoas, devolvendo, assim, a esperança ao território, através da fixação de pessoas, da criação de riqueza e da atração de investimento", reitera.

Por sua vez, o criador/fundador do evento que coloca sobre a mesa temas tão pertinentes e atuais como Cidades Inteligentes e Turismo Inteligente, dois conceitos indissociáveis, até pela transversalidade que os une, garante que “este é o momento certo para falar de devolução e até de regressos e escolhas”. Isto porque, de acordo com Vítor Pereira, “há uma grande pressão, hoje em dia, nos grandes centros populacionais, o mundo inteiro vive um drama intenso ao verificar que a imensa atratividade dos grandes polos urbanos está ou está-se a esgotar”.

Na opinião do diretor executivo do Smart Travel, “neste momento, as pessoas lutam com a dificuldade de ter mobilidade ou uma habitação em condições e esta é a oportunidade ideal para os pequenos municípios, esta é a oportunidade para as cidades de pequena dimensão que podem tornar-se atrativas para diferentes projetos”.

Enquanto responsável pelo evento de Smart Cities mais antigo do país e um dos mais reputados internacionalmente, Vítor Pereira assevera que “cidades como Bragança têm toda a vantagem em posicionar-se numa situação de recetividade e desenvolver como, de resto, tem desenvolvido e bem, ao longo destes anos, todas as condições para garantir que os projetos aqui têm o devido apoio, o respetivo acompanhamento e são bem-sucedidos”.

O homem que se define como “Miracle Aligner, Innovator & Dreamer of a better world through Creative and Smart Cities” na sua página de Facebook, entende que “quando falamos de pessoas com estudos e com capacidade, inclusive, de desenvolverem os seus próprios projetos, as suas startups, os empreendedores não necessitam de ser estrangeiros, podem bem ser nacionais”.

Convém referir que, desde 2014, já passaram pelo Smart Travel mais de 150 oradores nacionais e internacionais, especialistas em Turismo e Smart Cities com uma visão suportada em experiência e conhecimento, muitos de renome, alguns pela primeira vez em Portugal, onde, para além de terem abordado temáticas como o futuro do urbanismo, do turismo e dos ecossistemas sustentáveis, tiveram a oportunidade única de experimentar e viver a cidade de Bragança e o "Reino Maravilhoso" de Trás-os-Montes.

No entanto, o facto de se organizar no interior norte fez com que certas questões relacionadas com as regiões mais isoladas do país, tivessem um outro enfoque, providenciando, assim, uma nova e viva voz a cidades mais pequenas e distantes dos grandes centros de decisão que, à semelhança de Bragança, se encontram tão ou mais motivadas para o uso sustentável da tecnologia na resolução de problemas e desafios de forma criativa e humanizada.

 

Participação gratuita com inscrição obrigatória em:

www.smartravel.pt

Adicionar novo comentário

CAPTCHA Esta questão tem a finalidade de prevenir publicações de spam.
The website encountered an unexpected error. Please try again later.