PUB.

Moncorvo homenageia jornalista da terra recentemente falecido, Rogério Rodrigues, com exposição multifacetada

Moncorvo homenageia jornalista da terra recentemente falecido, Rogério Rodrigues, com exposição multifacetada

A Câmara Municipal de Torre de Moncorvo decide homenagear o moncorvense Rogério Rodrigues com uma exposição em sua memória.

Patente na Biblioteca Municipal da sede de concelho, até ao final do mês de outubro, os visitantes poderão ler ou reler vários artigos que o jornalista escreveu ao longo do tempo nos diversos jornais e revistas por onde passou, livros da sua autoria, textos escritos sobre o concelho onde nasceu e trabalhos criados para as produções cinematográficas onde participou, bem como as inúmeras reações e notícias publicadas sobre a sua morte.

Em destaque, encontra-se a crónica que Rogério Rodrigues escreveu no Diário de Lisboa, intitulada “Ex-fadista Nua em Plena Cidade”, que viria a dar origem à canção “Teresa Torga”, de Zeca Afonso

Os visitantes poderão, ainda, recordar, através de um documento audiovisual, a participação do escritor, poeta, autor e crítico, natural de Peredo dos Castelhanos, em múltiplas atividades que tiveram lugar na vila moncorvense, assim como deixar uma “última mensagema Rogério Rodrigues.

 

Roger

 

O jornalista Rogério Rodrigues morreu ao final da tarde do dia 10 de outubro, aos 72 anos. O jornalista estava doente e tinha sido hospitalizado no domingo.

Rogério Rodrigues começou a trabalhar no Diário de Lisboa em 1974, de onde saiu em 1981 para O Jornal.

Em 1989 foi para a revista Sábado e em 1990 para O Público. Voltou ao O Jornal em 1992, onde permaneceu até 1994.

O jornalista Luís Osório reagiu à notícia, na sua página da rede social Facebook, expressando o seu lamento pela morte daquele que considera "o último jornalista". "O Rogério foi o melhor, o mais extraordinário jornalista que conheci", postou.

"Ninguém escrevia sobre política como o Rogério. Nem sobre o Partido Comunista. Ou Álvaro Cunhal - no dia em que o conheci, na redação do semanário O Jornal, acabara de publicar um perfil sobre o histórico líder comunista, levei o jornal para casa e adormeci a sonhar com o dia em que escreveria como ele", acrescentou.

Rogério Rodrigues foi, também, diretor-adjunto de A Capital, quando Luís Osório dirigiu o vespertino, tendo passado, também, pelo Rádio Clube Português

Adicionar novo comentário

CAPTCHA Esta questão tem a finalidade de prevenir publicações de spam.


PUB.

The website encountered an unexpected error. Please try again later.