Detido em Zamora casal considerado “perigoso” após deixar rasto de crimes por toda a Península Ibérica

Foi ontem à noite que Nélida Guerreiro e Sidney Martins foram detidos no McDonald’s do Centro Comercial Valderaduey, em Zamora.

A dupla, que já muitos pensavam estar em França, deixou um rasto de múltiplos crimes, entre assaltos à mão armada a várias bombas de gasolina em Portugal e Espanha, para além de serem suspeitos de três homicídios na aldeia de Donai, concelho de Bragança.

De acordo com o jornal Zamora News, o casal foi detido sem oferecer qualquer tipo de resistência, após ter sido identificado, pelas 22h30, por um outro cliente do restaurante da cadeia de fast-food, que terá telefonado para a Guardia Civil.

Nélida Guerreiro, de 40 anos, natural de São Brás de Alportel, em Faro, e Sidney Martins, de 42 anos, natural da Venezuela, terão entrado, a 28 de julho, em Espanha, onde protagonizaram uma série de assaltos violentos em postos de abastecimento de combustível nas “províncias” de Toledo, Badajoz e Sevilha. O seu objetivo, consta-se, passaria por cruzarem a fronteira terrestre franco-espanhola, sendo França o seu destino final.

Na última quarta-feira, dia 10, na sequência de um assalto ocorrido dois dias antes, a 8 de agosto, numa bomba de gasolina na Auto-estrada 5, junto a Talavera de la Reina, a Guardia Civil decidiu lançar um alerta nas redes sociais com o intuito de obter ajuda da população civil na localização dos fugitivos. A publicação, na qual o casal de criminosos era descrito como perigoso, depressa se tornou viral e, no Twitter, a Guardia Civil veio já agradecer a ajuda de todos, reconhecendo, simultaneamente, que a detenção da dupla teve o contributo de uma colaboração civil.

Armados e perigosos, ambos a lidaram com problemas de toxicodependência, Nélida e Sidney são suspeitos de envolvimento no homicídio recente de três pessoas, da mesma família, em Donai. A 10 de julho, o primeiro corpo, o de uma mulher, foi encontrado já cadáver. Nove dias depois, foram os corpos do marido e do filho a serem descobertos pelos bombeiros, após terem sido chamados para um incêndio na habitação da família.

Rumaram, então, ao sul de Portugal, onde semearam o terror em dois assaltos a bombas de gasolina. Captados pelo sistema de videovigilância, as imagens mostram que, no assalto que ocorreu perto da meia-noite, em Almancil, o casal agiu de cara destapada, usando uma faca e, inclusive, uma arma de fogo para ameaçarem as funcionárias e um cliente. Fugiram, depois, numa viatura que tinham deixado nas imediações do estabelecimento. Na mesma semana, terão assaltado outro posto de combustível, desta feita em Lagos e, ao serem abordados, roubaram uma viatura com a qual chegaram a abalroar vários veículos, entre os quais, um da GNR

De referir que, em 2019, o casal foi constituído arguido num outro homicídio, no Algarve, tendo sido absolvidos por falta de provas.

Ontem à noite, mais de um mês após o primeiro de três homicídios em Donai, este caso conheceu o tão aguardado desfecho, de entre todos o melhor possível, já que não se registou qualquer violência no momento da detenção, só foi possível graças à preciosa colaboração entre a Polícia Nacional de Espanha e a Polícia Judiciária, que dirigiam uma investigação conjunta com troca atualizada de informações como matrículas e fotografias atualizadas dos suspeitos.

Adicionar novo comentário

CAPTCHA Esta questão tem a finalidade de prevenir publicações de spam.


PUB.